Make your own free website on Tripod.com
SIMPATIAS CIGANAS VIAGEM

PARA AMAR A LIBERDADE

O objetivo desta simpatia não é o de apenas preparar o espírito do cigano recém-nascido para amar as viagens, mas para amar, acima de tudo, o espírito de liberdade que o fato de não ter amarras e poder ir para onde quiser representa. Essa preocupação é tão grande que, quando nasce uma criança cigana, nenhum nó ou laço é usado em suas roupas nem em seus sapatos. Além disso, tão logo seu nome seja escolhido, ele é sussurrado ao vento, pelo pai, que se voltará na direção dos quatro pontos cardeais, murmurando o nome do filho três vezes em cada posição.

PARA TER SORTE NUMA VIAGEM

A vontade de viajar e de encontrar prazer nisso é muito grande entre os ciganos. Ninguém imagina uma viagem frustrada ou infeliz, fazendo todo o possível para prevenir qualquer eventualidade. Uma das providências mais antigas era lavar o aro das rodas das carroças com uma mistura de água, sal e pétalas de rosas brancas. Hoje em dia, como a maior parte das viagens já são feias em modernos furgões ou "motor-homes", a simpatia consiste em lavar todos os vidros do veículo com essa água.

PARA TER BOAS COMPANHIAS

Uma viagem solitária não é uma viagem agradável para um cigano. Para onde for, é preciso que pessoas como ele estejam em sua companhia para tornar o caminho agradável. A escolha dos companheiros de viagem é importante e uma simpatia antiga recomenda certo critério na escolha dele, para que disso resulte um ambiente harmônico, onde as diferentes personalidades se equilibrem. Para isso, procuravam levar consigo pessoas com nomes iniciados por letras diferentes, evitando repetições. Ou, então, faziam a seleção conforme o tipo de companheiros que desejava, baseado nesse mesmo princípio. O importante a ser considerado era a forma como a pessoa era normalmente chamada. Nisso podia ser considerado o primeiro nome, o sobrenome e até um apelido. O que fosse mais comum deveria prevalecer. A escolha dos parceiros considerava as seguintes características para cada letra inicial dos nomes das pessoas: A: pessoa de muita vitalidade e força, mas facilmente irritável.

B: capaz de dirigir outras pessoas com generosidade e bondade, mas pode ser um tanto teimosa.

C: prática e de bom senso, podendo ser impulsiva.

D: criteriosa em todos os sentidos, mas pode se tornar violenta.

E: versátil e de muita imaginação, precisa ser estimulada para deixar de lado a timidez.

F: movida pela justiça e pela inteligência, mas um tanto orgulhosa.

G: realista, com tendências ao isolamento, que precisa ter atividades constantemente.

H: numerosos talentos, inclusive artísticos, mas intragável quando se deixa levar por fanfarronices.

I: idealista e esforçado, mas precisa ser monitorado por causa de sua inconstância.

J: enérgica, intuitiva e eloqüente, mas dado a intrigas.

K: discreta, sóbria, mas precisa controlar o entusiasmo.

L: versátil em qualquer situação fora de casa, desde que não lhe provoquem o ódio ou o ciúme.

M: religiosa, gosta de conforto e riqueza, devendo controlar os excessos de comida e bebida.

N: indecisa, medrosa e impulsiva, precisa dos amigos para dominar sua personalidade irritável e imprevisível.

O: constante e sincera nas amizades, podendo tender ao egoísmo.

P: artista, precisa dos amigos para desenvolver o bom senso que o levará ao sucesso pela arte.

Q: sagaz e audaz, pode pecar pelo excesso de otimismo.

R: persuasiva, ardilosa e inventiva, precisa controlar as energias para ter sucesso.

S: versátil e talentosa, se não se deixar levar pela desorganização e pela sovinice.

T: realista e impulsiva, pode se tornar inquieta, nervosa e petulante.

U: honesta e devotada, deve controlar o exagero, a intolerância e o fanatismo.

V: apreciadora da poesia e da música, mas às vezes avessa à confraternização.

W: original e hábil para os negócios, prejudicada às vezes pela indolência.

X: sente-se à vontade do meio de pessoas, embora um tanto sonhadora.

Y: lutadora e corajosa, mas um tanto impulsiva.

Z: hábil e respeitosa com as outras pessoas, costuma se vangloriar muito de seus feitos.

PARA TER PRAZER NA VIAGEM

Toda viagem é como uma aula de vida para um cigano, onde ele encontra, acima de tudo, prazer. O prazer de estar em liberdade, de se encontrar com pessoas, de aprender sempre coisas novas e poder mostrar o que sabe e o que pode fazer. A liberdade para viajar é, também, uma liberdade para ter prazer, por isso, no momento da partida, o cigano despetala uma rosa vermelha para lembrar de onde partiu e espeta uma rosa em botão na camisa para lembrar que, ao desabrochar durante a viagem, aquele botão lhe dará a mesma alegria da rosa que ele deixou cair quando partiu.

PARA TER LUCRO NA VIAGEM

Não apenas puro prazer, mas as viagens para os ciganos são também oportunidades de praticar uma de suas maiores artes, que é a de negociar. Haverá sempre um negócio esperando por ele em cada ponto de parada. E não houver, ele, com sua habilidade, saberá como provocá-la. Para isso, antes de partir, ele deixa com sua mãe, sua mulher ou sua filha uma moeda de ouro ou prata, para que ela cuide, enquanto ele viaja. Pelo menos uma moeda igual àquela, no mesmo valor, ele há de trazer como lucro de sua viagem.

PARA PREVER O RESULTADO DE UMA VIAGEM

Como mestres na arte da cartomancia, um cigano pode antecipar os resultados de uma viagem, simplesmente consultando o baralho. Essa consulta, no entanto, nunca é feita por ele pessoalmente, mas por uma mulher ligada a ele, a mãe, uma irmã, a esposa, uma filha, uma sobrinha ou coisa assim. Para tanto, basta ele pedir que lhe vejam o resultado da viagem no baralho. A mulher, então, embaralhará as cartas, depois dará para que ele corte. Com a mão direita ele segurará uma porção de cartas, cortando e virando o maço que ficou em sua mão, exibindo a carta. Conforme o naipe retirado, será a interpretação do resultado da viagem, conforme a seguinte convenção:

NAIPE DE COPAS: Sucesso total.

NAIPE DE PAUS: Sucesso parcial, há alguns detalhes que merecem ser melhor analisados.

NAIPE DE OUROS: A viagem não será de todo perdida, mas os resultados estarão aquém das expectativas.

NAIPE DE ESPADAS: Não viaje.

PARA ENCONTRAR UMA PESSOA

Uma viagem pode ser feita com um fim específico de encontrar uma pessoa, principalmente se for do sexo oposto. Segredos e mistérios também fazem parte da alma cigana, por isso esta simpatia é sempre feita escondida, de forma que ninguém fique sabendo que ela foi feita. Quando um cigano ou uma cigano inicia uma viagem ao encontro de uma pessoa do sexo oposto e quer ter a certeza de que a encontrará a sua espera, costuma pregar, no interior de sua blusa ou camisa, à altura do coração, um botão de quatro furos feito de madeira. Após o encontro, o botão deverá ser retirado para não provocar confusões no regresso.

PARA VIAJAR FORA DO PAÍS

Esta simpatia já foi registrada no interior de Minas Gerais, mais precisamente na cidade de Governador Valadares, e em cidades do Nordeste do país, feita por pessoas que desejam viajar para fora do país. Para tanto, basta formular o desejo na boca do pé direito de um sapato novo, depois guardá-lo, junto ao seu par, virados de boca para baixo, numa caixa de papelão.

PARA VIAJAR FORA DO CONTINENTE

Esta pode ser considerada uma variação da simpatia anterior, mas o destino da viagem é sempre mais longe, além do próprio continente, como alguém estando no Brasil e desejando ir conhecer a Europa ou alguém na Ásia querer conhecer a América. Para tanto, o desejo deve ser formulado na boca dos dois pés de sapatos novos, depois guardados como indicado na simpatia anterior.

PARA UM BREVE REGRESSO

Quem parte quer se demorar o máximo possível, mas quem fica deseja que a pessoa regresse logo. Se existe uma simpatia para prolongar uma viagem, existe uma outra mais forte, destinada a fazer com que a pessoa que viajou regresse depressa. Assim que ela partir, basta pegar a última xícara, último copo ou última caneca que ela usou e, sem lavá-la, virá-la de boca para baixo e deixar sobre um envelope de carta vazio e em branco.

PARA FAZER UMA BOA VIAGEM

Uma boa viagem, para o cigano, é uma viagem cheia de movimento e de aventura, com muitas descobertas, novos conhecimentos, bons negócios, amizades, música, boa comida e boa bebida. Independente do que pretenda com a viagem, o cigano a aproveita para tudo isso, pois é o quando se sente realmente livre. Para que tudo isso lhe aconteça, costuma fazer um ritual, antes de qualquer viagem. Quando sai, primeiro se despede dos adultos, depois dos jovens e das crianças e, finalmente, dos animais de estimação. Desses últimos, ele leva alguma coisa para dar sorte, como um chumaço de pêlos de um cachorro ou uma pena de um pássaro.

PARA TER UMA BOA RECEPÇÃO

Ser bem recebido é uma questão de honra para os ciganos, pois recepcionar é uma de suas artes. Quando visita os gadjos ele pode até relevar alguns deslizes. Quando visita outros ciganos, qualquer falha na recepção é imperdoável e é considerado como uma ofensa. Para garantir a boa recepção, porém, um cigano jamais se apresenta sem levar duas garrafas de vinho ao menos, um tinto seco, para o chefe da casa e um banco e doce, para a dona da casa.

PARA SER BEM RECEBIDO

Em todas as épocas, os ciganos foram recebidos das maneiras mais diferentes possíveis, em suas viagens pelo mundo todo. Receberam recepções festivas, da mesma forma como foram rechaçados pela incompreensão dos homens. Inúmeras simpatias surgiram, durante esse tempo, procurando garantir uma feliz permanência ou o sucesso de uma viagem. Uma das mais tradicionais e importantes era a de agradar inicialmente às crianças da localidade. Para tanto, tão logo chegavam ao seu destino, os ciganos separavam sete moedas, que eram entregues às primeiras sete crianças que se aproximassem da caravana ou do acampamento. Observação: muitas lendas e mitos surgiram em virtude desse costume cigano. Pessoas mal informadas afirmavam que era um truque usado pelos ciganos para atrair as crianças, que eram raptadas e vendidas mais tarde. Mesmo assim, conhecedoras dos costumes, tão logo viam uma caravana surgir ao longe, as crianças corriam ao seu encontro, na esperança de ganhar uma dessas moedas.

PARA ASSEGURAR OS OBJETIVOS DE UMA VIAGEM

Quando um cigano faz uma viagem, é porque, além da aventura, espera algum resultado dela. O objetivo que a move muitas vezes é realizar um negócio que foi, na realidade, apenas o pretexto para a viagem. Ciganos antigos faziam viagens de centenas de quilômetros apenas para comprar um cavalo, muitas vezes. O importante para eles era realizar a viagem e voltar dela com o objetivo alcançado. Para isso, tão logo chegavam ao seu destino, brindavam com cerveja a sua chegada. Observação: quando as caravanas chegavam a um local e o acampamento era marcado, os ciganos promoviam uma festa regada a cerveja e vinho. Depois, homens e mulheres urinavam nos limites do acampamento, demarcando-o e mantendo dentro desses limites a boa-sorte e o sucesso.

PARA GARANTIR UMA BOA VIAGEM

Ainda hoje se pode observar, nas janelas das casas de ciganos estabelecidos, um solitário vaso de flor. Antigamente, nos carroções, ocorria a mesma coisa. Com os caminhões e trailers, dos grupos ainda nômades, também se vê isso. Além de ser um enfeite singelo, esses vasos representam uma simpatia cuja origem se perde na história do povo cigano. Sempre que o chefe da família viaja, esse vaso é posto na janela e em sua superfície brilha uma moeda de ouro ou de prata, que ali ficará até a sua volta. Para alguns, essa simpatia é para atrair sorte. Para outros, é para lembrar aos demais membros da tribo que o chefe da casa está fora e que todos devem prestar qualquer auxílio que possa ser necessário durante a sua ausência.

PARA AFASTAR A MÁ SORTE

Qualquer cigano que tenha um mínimo de conhecimento das tradições recusará, quando em viagem, qualquer prato que lhe seja servido que contenha pés de galinha ou de qualquer outra ave. Essa tradição é antiquíssima e pode ser observada em muitas outras culturas. Para os ciganos, a maneira como as aves se alimenta, ciscando para trás, dá azar.

PARA NÃO FICAR ALÉM DO NECESSÁRIO

Para um cigano, tempo perdido é tempo irrecuperável. Ficar parado, quando o objetivo da viagem foi atingido, é contra seus princípios e seus hábitos. Como, por outro lado, são bons anfitriões, estão constantemente fazendo de tudo para que seus compatriotas permaneçam mais tempo do que o necessário. Estes, por sua vez, procuram escapar dessas tentações com uma simpatia. Quando estão em viagem, jamais caminham descalços, seja no interior de uma casa, seja num acampamento. Observação: é interessante observar que, nos quartos de hóspedes, as camas são posicionadas de forma que a cabeceira fique voltada para o poente. Trata-se de uma simpatia destinada a fazer com que o hóspede permaneça por mais tempo. Espertamente, os ciganos que conhecem essa simpatia dormem com a cabeça voltada para os pés da cama, de forma que seu corpo fique posicionado na direção do movimento do sol. Essa é a simpatia para aqueles que não querem permanecer muito tempo num local.

PARA NÃO SER ENGANADO E PROLONGAR A ESTADIA

Para alguns, se o local da estadia é agradável, as pessoas são receptivas e tudo está maravilhoso, a tentação de permanecer é muito grande e pode mesmo se tornar irresistível. Para um cigano, o que ele já conhece deixe de ser tão interessante como o que está pela frente, ainda por conhecer. Por isso ele foge de toda e qualquer armadilha que vise enganá-lo e fazê-lo permanecer mais do que deveria num local. Uma das primeiras coisas a fazer é não deixar nenhum vaso com planta no fundo do aposento. Se há algum, ele o coloca discretamente ao lado da porta. Assim, para prender alguém numa viagem, basta colocar um vaso com uma planta qualquer no ponto mais distante da porta de saída do aposento onde ele dormirá.

PARA OBTER LUCRO COM A VIAGEM

Um cigano detesta perder tempo ou perder viagem. Se vai para uma visita, permanece muito pouco e faz o possível para realizar algum negócio, de forma a não voltar de mãos vazias ou sem um resultado positivo. Isso é assegurado por um talismã especial, que levam consigo em suas viagens, principalmente aqueles que vivem de negócios. Trata-se de um saquinho feito com pele de cobra, contendo, em s eu interior, três moedas de cobre. Observação: há inúmeras simpatias aqui no Brasil que utilizam o mesmo princípio, num objeto chamado breve, que pode incluir uma oração ou não.

PARA NÃO ESQUECER DE VOLTAR

As ciganas são muito ciumentas e conhecem os costumes de seus homens. Quando eles se demoram mais do que o esperado, elas ficam de orelhas em pé, apesar da infidelidade ser uma prática um tanto incomum em nosso meio. O ciúme, porém, é parte da natureza cigana e não há como lutar contra isso. Muitas usam uma simpatia muito interessante. Com fios de seus longos cabelos, tecem, no pulso esquerdo de seus namorados, noivos ou maridos, pulseiras que são obras-primas de artesanato e que não podem ser retiradas, a menos que sejam cortadas.

PARA FAZER VOLTAR

Em algumas simpatias, fica bem evidente o caráter passional e possessivo da mulher cigana. Nesta, feita quando seu homem viaja, ela procura se cercar de garantias de que ele voltará logo. Para tanto, colocam na cama, no lado em que o marido dorme, uma rédea de cavalo, presa a um freio de metal, aquela peça que é introduzida na boca do animal, para mantê-lo sob controle.

PARA REPETIR UMA VIAGEM

Quando um cigano faz uma viagem para um determinado lugar e essa viagem é bem sucedida e cheia de boas lembranças, ele costuma fazer uma simpatia para repeti-la algum dia, no futuro. Para isso, simplesmente escolhe uma árvore naquela localidade e dá a ela o seu nome. Antigamente costumavam gravar na casca o seu nome. Hoje em dia apenas dão o nome, assegurando que um dia voltarão.

PARA NÃO TRAZER AZAR

Quando retorna de uma viagem, um cigano tem uma preocupação enorme com a sua bagagem. Segundo uma lenda, Beng, o mal, ocultou-se na bagagem de um viajante. Assim que ele chegou em casa, a esposa, curiosa, correu desfazer a mala e libertou, com isso, o demônio, que levou o azar e a desgraça àquele lar. Para evitar isso, um cigano desfaz pessoalmente a sua mala e jamais permite que a esposa, filha ou empregada façam isso.

PARA MEDO DE AVIÃO

Muita gente tem perdido excelentes oportunidades de conhecer o mundo ou realizar ótimos passeios simplesmente por medo de viajar de avião. Para quem encara esse meio de transporte com naturalidade ou está habituado a ele, imaginar que alguém se recuse a uma viagem simplesmente por medo, pode parecer um absurdo. No entanto, esse medo alcança as raias do pavor e não há como mudar a mentalidade de alguém que sofra disso. Se é o seu caso, entretanto, e você quer mudar isso, antes de mais nada aceite a oportunidade. A partir desse momento, pegue três penas das asas de um pombo vivo, amarre-as com linha branca e coloque dentro de seu travesseiro. Quando for embarcar, leve com você, em contato com a pele do seu corpo.

PARA MEDO DE NAVIO

É interessante observar o medo que podemos ter da água, quando vivemos nela parte de nossa vida, antes do nascimento. O que poderia ser um ambiente capaz de trazer reminiscências agradáveis, na verdade é encarado por alguns com pavor. Uma viagem de navio é tão segura que uma por avião e, com certeza, ambas são mais seguras que uma viagem de automóvel. Só que esse não é um argumento que convence. A pessoa que sofre desse mal precisa se sentir segura para aceitar embarcar num navio e isso pode ser obtido da seguinte forma. Consiga uma escama grande de curimbatá, ou curimba. Veja se, posta contra a luz, você divisa o vulto de Nossa Senhora Aparecida nessa escama. Se conseguir, coloque-a dentro de um saquinho branco de tecido cru e natural, costure toda a volta e leve-o ao pescoço, preso por um cordão de algodão, linho, rami ou produto natural similar.

PARA MEDO DE VIAJAR DE CARRO

Na realidade, viajar de carro pelas estradas do Brasil é um ato de coragem, pois encerra uma verdadeira aventura. A péssima conservação e a concentração do transporte de mercadorias através desse meio contribuem para deteriorá-las cada vez. Diante desse quadro, qualquer pessoa se arrepia se tem que viajar ou se um ente querido vai ter que enfrentar uma estrada. Em qualquer das situações, forre uma mesa de madeira com uma toalha branca e nos quatro cantos coloque uma vela branca acesa. No centro ponha sua foto ou a foto da pessoa que vai viajar. Peça ao Anjo da Guarda respectivo que acompanhe você ou a pessoa em questão.

PARA REALIZAR UMA VIAGEM DE ESTUDOS

Muitos estudantes gostariam de completar seus estudos com uma viagem onde pudesse observar pessoalmente aspectos que julgam importante para seus conhecimentos. Isso nem sempre é possível, mas existem as mais diferentes chances de, através de uma bolsa de estudos ou mesmo de um paitrocínio, por exemplo, conseguir isso. A questão é perseverar e insistir. Para ajudar, pegue um mapa do local aonde deseja ir, cole levemente em cima uma fotografia sua, dobre o mapa e coloque-o dentro de uma Bíblia, na página inicial do Êxodos. Todo sábado pela manhã, acenda uma vela, num pires posto sobre essa Bíblia. Faça isso até conseguir realizar a viagem.

PARA REALIZAR UMA VIAGEM DE LAZER

É numa viagem de lazer que, livre de qualquer obrigação ou compromisso, você pode se dedicar inteiramente ao prazer de conhecer lugares e pessoas. Logicamente uma viagem dessas só pode ser feita nas férias ou, para muitos, quando atingem, finalmente, a sua aposentadoria e podem, à custa de suas economias, coisa que anda muito difícil de ser feita, realizar o sonho. Em qualquer das situações, antes de mais nada é preciso desejar que ela aconteça, pois esse é o primeiro passo. A partir daí, convencer-se de que ela acontecerá e começar a trabalhar nesse sentido. Para ajudar, fazer uma simpatia muito boa para esses casos. Num sábado, obtenha uma muda de uma árvore nobre, de madeira de lei. Pegue todas as instruções para cultivá-la e plante-a num vaso grande. Dê a ela o nome da viagem que gostaria de fazer. Comece a cuidar dessa árvore, conversando com ela e falando do seu grande sonho.

PARA GANHAR UMA VIAGEM

Realizar uma viagem desejada pode ser um sonho inatingível para muita gente, a menos que ela ganhe esse privilégio. Caso contrário, por seus próprios meios isso jamais aconteceria. O que não se pode é perder a esperança. Falar dessa viagem e de sua vontade de fazê-la é uma maneira de começar a torná-la real. Como não pode pagá-la, faça a seguinte simpatia para atrair a atenção de alguém que o fará. Reuna prospectos e mapas do local ou locais para onde gostaria de viajar. Junte uma fotografia sua, coloque dentro de um envelope, lacre, ponha dentro de um saquinho plástico, que deverá também ser lacrado. Enterre isso junto às raízes de uma árvore bem alta, com muitos galhos espalhados em todas as direções. Procure uma, que tenha o mínimo de galhos secos ou, se possível, nenhum. Continue esperando, sem perder as esperanças.

PARA CONFIRMAR UMA VIAGEM

De repente surgiu a oportunidade de você realizar uma viagem, só que isso depende de alguns fatores fora de seu controle. É claro que a expectativa será angustiante, enquanto espera pela confirmação. Antes de mais nada, é preciso pensar positivamente e imaginar a viagem se realizando. Em segundo lugar, preparar uma simpatia infalível. Pegue três penas das asas de um pombo, três de seu peito e três de sua cauda. Junte todas elas e amarre-as pelo pé com linha vermelha. Coloque dentro de um copo, onde tenha posto um dedo de mel puro no fundo. Deixe num lugar alto, fora de sua casa, até a confirmação da viagem. Jogue em água corrente. Observação: Existe uma variação desta simpatia, praticada pelos ciganos em Paris, que não atam as penas com linha. Simplesmente colocam-na num copo com mel e diariamente atiram uma delas na correnteza de um rio. Segundo eles, antes dos nove dias a viagem é confirmada.

PARA ADIAR UMA VIAGEM

Pode ocorrer de ter aparecido a chance de uma viagem interessante para você, mas algum compromisso o(a) prende e impede de viajar. Tudo seria perfeito se você pudesse adiar essa viagem para um momento mais satisfatório. Se houver a possibilidade, ótimo. Se surgir algum complicador, aplaine o seu caminho usando a seguinte simpatia: Pegue um calendário e marque nele o período propício para você fazer essa viagem, untando-o com mel. Coloque esse papel pendurando próximo de uma colmeia.

PARA ALGUÉM DESISTIR DE UMA VIAGEM

Uma pessoa querida pretende fazer uma viagem que você não aprova ou não quer que se realize. Manifestar isso é a primeira providência. Caso sua argumentação não seja satisfatória, mas você continua insistindo por algum motivo na desistência, deixe que o destino escolha a melhor opção para o caso, entregando-o à decisão das forças da natureza, pois há coisas na vida sobre as quais não devemos ou não podemos interferir. Para isso, no chão, risque com uma vela o primeiro nome da pessoa. Depois jogue água marcando as letras. Sobre a parte molhada, jogue sal, deixando as letras visíveis. No final delas acenda a vela. Observação: Faça esta simpatia somente em dia claro, com céu sem nuvens e sol alto, de preferência em torno do meio-dia.

PARA CANCELAR UMA VIAGEM

Por um motivo ou outro você não pode fazer uma viagem na qual levaria uma outra pessoa. Você precisa cancelá-la mas não quer que essa pessoa fique magoada porque algumas coisas estão em jogo nessa situação. A melhor saída vai ser dar todas as explicações, mas para fazer isso sem ter problema algum e, em muitos casos, até provocar a outra pessoa para que ela cancele a viagem, pegue um pouco de açúcar, esfregue numa fotografia da pessoa, pondo-a dentro de uma Bíblia. Recolha o açúcar que foi esfregado na foto e, com ele, faça três linhas paralelas, cortando um trilho de formiga, de forma que elas retirem primeiro o açúcar que corta o seu caminho, interrompendo as linhas.

PARA REALIZAR UM ALEGRE PASSEIO

Nem só de viagens longas vive o homem. Às vezes um pequeno passeio pode ser muito mais interessante e agradável que uma viagem mais demorada. Se você anda desejando que isso aconteça, apresse as coisas com uma simpatia bem simples. Pegue um bebedouro de beija-flores, coloque água adocicada em seu interior, juntamente com uma fotografia sua ou um objeto de seu uso pessoal, como um anel, um pingente ou coisa assim. Deixe do nascer ao pôr do sol de um sábado, pendurado no galho de uma árvore.

PARA RESOLVER ASSUNTOS PESSOAIS

Quando se pretende fazer uma viagem para resolver um assunto de natureza pessoal, sabemos aproveitar todo o encanto do passeio, pois isso tem um especial sabor para nós, mas não deixamos de nos preocupar com o assunto em si. O importante é que tudo saia bem e, para isso, temos algumas práticas que procuramos observar, quando se trata desse tipo de viagem: Para ir e resolver a pendência, costumamos partir sempre antes das 6:00 horas e jamais depois das 18:00 horas. Para não perdermos a viagem e encontrarmos tudo como esperávamos, fazemos questão que, ao nascer, o sol nos encontre de frente para ele, mesmo que isso signifique ir na direção oposta até ele surgir. Se o assunto pessoal será tratado com uma mulher, levamos no bolso esquerdo da camisa ou da blusa um botão de flor. Se for com homem, uma tira de couro com um nó bem apertado no meio. Caso a viagem seja demorada, para não nos cansarmos levamos cravos-da-índia para mascar e fazer o tempo passar mais depressa. Havendo perigo nessa viagem, deixamos um punhal sem bainha dentro do pé direito de uma bota, posta com o bico virado para a direção aonde vamos. Diante da possibilidade de enfrentarmos problemas legais para resolver esse assunto, deixamos uma fotografia nossa dentro do Livro dos Salmos, sob a guarda de um membro da família do sexo feminino. Quando a previsão é de chuva no dia da viagem, tratamos de adiá-la logo. Sem ver a sombra após a partida, não viajamos.

PARA ENFRENTAR UMA VIAGEM DESAGRADÁVEL

O ideal seria se apenas viajássemos por prazer ou por diversão, sem maiores preocupações senão apreciar a paisagem, conviver com pessoas e conhecer coisas novas. A vida nos mostra, no entanto, que muitas vezes somos até forçados a uma viagem que não gostaríamos de fazer, por circunstâncias alheias a nossa vontade. Quando isso ocorre, ficamos aborrecidos, mas não temos como impedir isso. Tratamos logo de nos proteger para que esse tipo de viagem, ainda que desagradável, traga as suas compensações ou se resolva favoravelmente, jamais voltando a se repetir. Se temos de viajar para resolver um litígio, trançamos três fitas verdes, três azuis e três vermelhas, prendendo essa trança ao cinto ou levando-a de forma visível. Para cumprir alguma obrigação desagradável, como a de sepultar um amigo ou parente, levamos um punhado de terra do nosso acampamento para jogar na sepultura dele. Acreditamos que, com isso, transmitimos de forma definitiva o apreço de todos os que não puderam ir. Quando se trata de uma viagem na qual não encontraremos nenhum prazer, costumamos levar, para nos confortar, um lenço vermelho com o perfume da pessoa amada.

PARA FAZER UMA BOA VIAGEM

Não importa qual seja o motivo da viagem. O cigano tem que ler a sorte para saber o que o espera no fim do caminho. Para isso, lança mão de uma série de oráculos que predizem como será essa viagem. Esses oráculos, muitos deles reservados aos mais antigos, que ocasionalmente escolhem um dos membros mais jovens para transmiti-lo, são comuns entre nós, alguns complicados, outros mais simples e rápidos. Um deles utiliza as três moedas dos Elementos do Tarô. Quando lançadas, sua configuração nos dá de imediato o que esperar dessa viagem. Para fazer isso, segurar as moedas com a mão direita acima da cabeça e, sem agitá-las, depositá-las respeitosamente sobre a superfície de uma mesa de madeira, coberta com um pano vermelho. A disposição das moedas dará o prognóstico, conforme as seguintes opções:

Viagem tranqüila, com resultados positivos, com ajuda e apoio de pessoas durante todo o tempo: três caras.

Viagem perigosa, requerendo precaução contra perigos ocultos e maldades. Se possível deve ser evitada: três coroas.

Viagem marcada pelo oportunismo. A sorte vai se alternar com o azar, assim como o bom com o mau, o lucro com o prejuízo. Exigirá muito discernimento para não se tornar negativa: uma cara e duas coroas.

Viagem cujo resultado será determinado pela disposição do coração do viajante, pois fará com que ele encontre o que semeou e não o que procura ou precisa encontrar: duas caras e uma coroa.

PARA UMA VIAGEM DE FUGA

Na história do povo cigano, muitas vezes tivemos de fugir da perseguição de gente ignorante, de governos intolerantes e de situações perigosas. Aprendemos a usar a noite como nossa aliada e a caminhar com os passos de uma sombra, fugindo ao perigo e à incompreensão. Antigamente, quando precisávamos fazer isso, embrulhávamos as patas dos cavalos com lã negra e espessa. Modernamente, amarramos um lenço de seda negra no pescoço de todos os elementos em fuga.

PARA FUGIR À TIRANIA

Durante a Segunda Guerra Mundial sofremos muitas perseguições e muitos de nossos irmãos foram impiedosamente sacrificados pelas ditaduras da Europa. Não foi a primeira vez que tivemos contato com a opressão e com a tirania em nossa história e, com certeza, também não foi a última. Só que aprendemos a perceber logo os sinais da aproximação da tirania. Ao sentirmos isso, imediatamente tratamos de nos pôr a caminho. Para garantir essa fuga, deixamos para trás cruzes deitadas, com o pé apontando sempre para direções diferentes.

PARA ENFRENTAR UMA VIAGEM SOFRIDA

Há viagens que nos impõem alguns sacrifícios, não apenas físicos, mas espirituais. São viagens que detestamos fazer, assim como todas as demais pessoas. A natureza desse incômodo e o motivo do sofrimento que ela provoca podem ser os mais diversos possíveis, por isso nem gostaríamos de discriminar. Imagine uma viagem que lhe traria sofrimento e saberá do que estamos falando. Se tiver que fazer uma assim em sua vida, pegue um relho ou um chicote e pendure-o num galho de árvore, marcando o ponto de partida. Ao pendurá-lo, prenda-o pela tira e deixe o cabo pendente.

PARA LUCRAR COM UMA VIAGEM

Uma viagem boa é aquela em que você se diverte, conhece pessoas, passa momentos agradáveis e ainda sai lucrando com ela. Para um cigano, esse é o ideal de viagem com a qual ele sempre sonha e procura fazer. Lucrar é conseqüência de realizar alguma atividade durante a viagem, não importa qual seja. Para garantir isso, costumamos levar alguma coisa que possa ser vendida ou trocada na viagem, como uma moeda de ouro, uma jóia, dinheiro de outro país, como o dólar, só que com isso não realizaremos nenhum negócio. Ele representa a oportunidade que atrai oportunidades, como dinheiro chama dinheiro e sorte chama sorte.

PARA AFASTAR O AZAR DE UMA VIAGEM

Como qualquer ser humano, os ciganos também estão sujeitos a encontrar um parceiro desagradável em suas viagens: o azar. Essa entidade não apenas é uma desmancha-prazeres como pode transformar em transtorno e tragédia o que poderia ser divertido e agradável. Para deixá-lo para trás, costumamos pegar sete moedas de pequeno valor e, quando iniciamos a viagem, vamos atirando para os lados, a pequenos intervalos do caminho. Primeiro à direita, depois à esquerda, até completar as setes. O azar, por ser avarento e ambicioso, ficará para trás para tentar encontrá-las. Não use moedas de valor expressivo, pois senão será a sorte que ficará para trás para procurá-las.

PARA UMA VIAGEM DAR CERTO

Viagens passadas são sempre importantes pois acrescentam experiências a nossas vidas. Nada mais agradável, porém, que planejar uma viagem, vivendo toda aquela ansiedade gostosa e aquela expectativa excitante de contar os dias que antecedem à partida. É óbvio que toda essa agitação merece dar certo e a viagem ser um sucesso. Para isso, quando definimos nosso objetivo, costumamos acender três velas, pondo-as juntas num pires e deixando-as diante de uma janela aberta. Observação: Essa simpatia é feita logo após o escurecer do dia em que se decidiu pela realização da viagem.

PARA TIRAR O MÁXIMO PROVEITO DE UMA VIAGEM

Nem é preciso comentar o quanto isso é importante e interessante, pois viajar apenas por viajar, para matar as formigas das solas dos pés, não tem sentido nenhum. Quando tiramos o máximo de proveito dela, aí sim ela se torna inesquecível. Para garantir isso, sempre antes de sairmos fazemos um brinde com vinho branco e mel. Quem fica deve beber metade da taça, simbolizando que o resto ficará para ser bebido na volta. Quem parte bebe metade e atira metade na terra, para pedir sorte.

PARA UMA VIAGEM SER PROVEITOSA

Uma viagem, para nós, é sempre motivo de expectativa, não importa qual seja o motivo dela. O que sempre esperamos é que tudo corra bem e não tenhamos nenhum incômodo ou obstáculo. Para isso, sempre nos garantimos com uma simpatia, dentre as inúmeras que temos para esse fim. Uma delas, muito usada pelos ciganos antigos, recomenda que, na partida, se passe por uma capela ou igreja, levando uma flor da estação para ser molhada com água benta e embrulhada em um lenço vermelho, que será levado junto ao corpo, por dentro das roupas. Nesse momento, rezar um Pai Nosso. Quando retornar, passe pela igreja, reze um Pai Nosso e deixe a flor no altar principal. Observação: esta simpatia era praticada até pelos ciganos não católicos, pelo simbolismo do gesto em si e porque era uma prática freqüente entre os povos da Europa católica há séculos atrás.

PARA SORTE NA VIAGEM

Há uma coisa da qual não procuramos nunca abri mão, por isso insistimos em realizar nossas simpatias para viagens: afastar toda e qualquer possibilidade de azar e atrair o máximo possível de sorte para qualquer deslocamento que tenhamos que fazer. Algumas simpatia para o sucesso de uma viagem se encarregam de fazer isso, como esta, por exemplo, feita pela esposa do viajante: Na manhã da partida, pegar três fitas vermelhas e fazer uma trança nos cabelos da filha caçula, pondo uma delas em cada uma das mechas. Ao arrematar a trança, as sobras de fitas e as pontas da trança devem ser aparadas e postas num saquinho de sedas ou de veludo, que deverá ter a boca amarrada. Pô-lo na mala de viagem. A filha permanecerá com os cabelos presos até que o pai retorne. Quando o casal não tem filhas ainda, os cabelos da esposa são trançados pela sogra ou por qualquer outra mulher mais idosa do que ela.

PARA UM BREVE RETORNO

Há muitas simpatias ciganas para viagens que são feitas pelas pessoas que ficam, quando um dos seus vai viajar, em sua maioria para garantir um breve retorno. São práticas que revelam o amor e o apego entre os membros da família e devem ser feitas nessas ocasiões, por prevenir nunca é demais. Uma delas, por exemplo, é feita por um dos filhos ou filhas, quando o pai viaja. Deve ser feita na noite da partida. Para que ele retorne logo e a viagem seja proveitosa, pegar uma usada por ele, unir a ponta à fivela, formando um círculo. Coloque sobre uma mesa e no centro pôr um espelho. Sobre o espelho, acender uma vela e chamar o nome do pai três vezes. Quando terminar de queimar, desfazer a simpatia, mas colocar a cinta fechada, como foi usada na simpatia, sobre o travesseiro dele, na cama.

PARA UMA VIAGEM TRANQÜILA

Quem sai para uma viagem tem duas preocupações: com a viagem em si, e tudo o que ela encerra, e com a família, que fica para trás. Entre os ciganos essa preocupação é muito grande, mesmo sabendo que toda a tribo olhará pelos que ficam. Os imprevistos, no entanto, podem acontecer, tanto para eles, quando para o viajante, por mais planejada que seja a sua viagem. Para isso, há uma simpatia que dá tranqüilidade a quem viaja e protege os que ficam. É simples. No dia anterior à partida, pegar penas de pássaros e gravetos de seus ninhos, colocando tudo isso dentro de um envelope branco, que será lacrado e posto dentro da Bíblia, no Novo Testamento, junto à parábola da volta do filho pródigo. Rezar um Pai Nosso, pedindo proteção para quem viaja e para quem fica. Quando retornar, retirar o envelopee levar seu conteúdo de volta ao ninho de onde foi retirado.

PARA VIAGENS COM VEÍCULO PRÓPRIO

Hoje em dia os ciganos se utilizam dos mais modernos meios de transporte, como fazem os gadjos, pois a velocidade pode representar lucro ou brevidade na viagem. Muitos, porém, fiéis ao estilo de vida que sempre nos caracterizou, preferem deslocar-se com veículos próprios, pois as oportunidades de negócios estão em toda parte, além de permitir que se conheça a região toda. Todos sabem o perigo que se enfrenta em nossas estradas, por isso não se faz uma viagem dessas sem contar com uma boa proteção, vinda de uma simpatia antiga, adaptada aos novos tempos e às novas situações. Pegue mechas de cabelos da esposa e dos filhos, fazendo uma trancinhas, que deverão ser unidas entre si com fita vermelha, formando uma única trança, que deverá ser dependurada no espelho retrovisor interno do veículo. Observação: alguns ciganos, dependendo de sua crença, penduram nessa trança medalhas de seus santos padroeiros ou, então, do padroeiro dos motoristas, São Cristóvão.

PARA A PROTEÇÃO DOS SEUS PADROEIROS

Muitas simpatias foram agregadas ao repertório cigano durante as andanças pelos países católicos, principalmente aquelas que se utilizam dos santos padroeiros para proteção, pedidos, bênçãos ou qualquer outra necessidade. Essas simpatias aparecem em todas as situações, inclusive nas viagens, onde uma praticamente é a preferida de todos. Onde uma família cigana que tenha essa crença parar, uma das primeiras coisas a serem montadas será, sem dúvida, o altar familiar. Ali será acomodada a imagem do santo padroeiro e uma vela será acendida, em sinal de gratidão. Quando alguém da família vai viajar, costuma pedir a proteção do seu santo padroeiro, acendendo uma vela num pires e rezando um Pai Nosso. Para finalizar, queimam nessa vela uma porção de pêlos da crina ou da cauda de um cavalo. Observação: a tradição cigana na criação e no comércio de animais sempre foi muito forte. Ainda hoje isso está presente, como nessa simpatia.

PARA NÃO LEVAR AZAR CONSIGO NUMA VIAGEM

Quando um cigano vai fazer uma viagem, reflete sobre todas as coisas que precisará fazer, num planejamento cuidadoso, para que a viagem não seja perdida de forma alguma. Preocupa-se com os que ficam e preocupa-se com as pessoas com quem vai se encontrar, por isso analisa sua vida nos últimos tempos. Se concluir que tem tido azar, com certeza fará esta simpatia, pois não desejará levar seu azar para outras pessoas. Para isso, limpa o interior de sua mala de viagem com um pano molhado em salmoura. Depois queima esse pano.

PARA ENFRENTAR OS PERIGOS DE UMA VIAGEM

Algumas viagens podem ser particularmente perigosas, não apenas em relação aos problemas comuns que podem surgir, como os acidentes, mas em decorrência do seu objetivo ou da natureza das pessoas com quem se pode encontrar pelo caminho. A proteção nesses casos precisa ser muito forte e acompanhar o viajante todo o tempo. Para esse tipo de coisa, não existe nada mais poderoso do que uma oração. Esta é particularmente indicada para isso. Na noite anterior à viagem, num local tranqüilo, diante do altar, com uma vela acesa diante da imagem do santo padroeiro, fazer a seguinte oração: "Três cravos da cruz de Cristo, que no Calvário foram deixados, fizeram tremer a Terra, mas não a Nosso Senhor na Cruz. Que façam tremer os corações de todos que desejarem meu mal. Que revertam qualquer azar, mau agouro e mau olhado, quando a mim forem destinados, preservando os inocentes e punindo apenas os culpados. Benzam-me, cravos da cruz de Cristo, lançando no espaço, além da Lua, do Sol e das Estrelas, todo o azar a mim destinado, para que nenhum mal me causem nem a qualquer outra pessoa, durante a minha viagem, desde minha partida, até a minha volta. Três cravos da cruz de Cristo, são tantos os malefícios e tantas as injustiças que existem no mundo, como aquelas que fizeram Jesus Cristo sangrar sob o suplício como o pior dos criminosos. Façam com que minha viagem seja tranqüila, para que eu possa louvar Nosso Senhor Jesus Cristo em todos os momentos dela. Amém." Após esta oração, rezar um Pai Nosso e três Ave Maria.

PARA PROTEÇÃO ESPIRITUAL NUMA VIAGEM

Todos os cuidados são tomados quando se prepara uma viagem, procurando fazer dela uma fonte de prazer e não de aborrecimentos. Espiritualmente, nós ciganos temos uma preocupação muito grande com as influências negativas que se pode encontrar pelas estradas, nos caminhos, nas casas e nas pessoas, que podem impregnar o viajante e serem levadas por ele na volta. Para evitar isso, durante toda a viagem, ao tomar banho, pôr um pouco de sal nos cabelos, antes de entrar sob a água.

PARA VIAGENS SEGURAS

A roda é o próprio símbolo da alma cigana, a constantemente em movimento e se mostrando sempre renovada, enquanto gira. Da mesma maneira, a estrela sempre foi o símbolo do caminho a seguir, pois a direção sempre era tomada em função de uma estrela guia. Roda e estrela, eis os dois símbolos protetores de um talismã pintado em praticamente todas os veículos ciganos. Quem viaja ou está em constante movimento, como motoristas em geral, podem se valer dessa simpatia protetora. Usar num chaveiro ou pintado discretamente num ponto de seu veículo, uma estrela de cinco pontas, ou estrela hominal, dentro de um círculo. Uma das pontas dessa estrela deverá estar apontada diretamente para o alto. Alguns ciganos costumam prender essa estrela a um cordão vermelho, amarrado ao espelho retrovisor interno de seu carro.

PARA SER BEM RECEBIDO

Para um povo em constante movimento, ser bem recebido é uma necessidade. Ao longo de sua história, os ciganos registram momentos de perseguição terríveis. Na Europa, num determinado período, os fazendeiros costumavam envenenar a relva ao longo das estradas, para impedir que os ciganos se detivessem em suas terras. Por essa razão, simpatias para garantir uma recepção amigável e não agressiva sempre foram da máxima importância. Ainda hoje, muitos se utilizam delas e aqueles que vão viajar, para passar uma temporada na casa de parentes, por exemplo, podem se utilizar de uma delas, muito forte e muito recomendada. Quando chegar à localidade ou à casa, apresente-se vestindo banco da cintura para cima, fechada até o pescoço, escondendo qualquer jóia que use ao peito. A roupa abaixo da cintura pode ser da cor que melhor lhe aprouver. Após a recepção, você pode mudar de roupa.

PARA NÃO TER PROBLEMAS COM SEU TRANSPORTE

Uma das tradições ciganas da máxima importância é o carinho e o cuidado que temos com os animais, tratando-os de modo especial, porque são eles que garantiram e garantem aos ciganos a sua mobilidade e as suas viagens. Uma simpatia antiga, utilizada pelos ciganos, consistia em jamais usar relho ou chicote contra um animal, ferindo-o. Esses instrumentos podiam ser utilizados para serem estalados junto às orelhas dos animais, mas jamais tocando-os. E nesse mister os ciganos eram peritos. Hoje em dia, locomovendo-se em veículos, os ciganos têm um cuidado todo especial com a parte mecânica e com a aparência deles. Além disso, jamais praguejam, quando estão em viagem.

PARA UMA VIAGEM AGRADÁVEL

Algumas práticas, durante as viagens, são seguidas até hoje pelos ciganos e se constituem em simpatias que permanecem imutáveis, mesmo após tanto tempo. A preocupação com a vida e a natureza sempre estiveram presentes em nossos usos e costumes, muito antes mesmo das preocupações ecológicas se tornarem modas. Numa viagem, os ciganos jamais tocam em qualquer tipo de ninho, principalmente se contiverem ovos ou filhotes, pois isso desarmoniza toda a viagem e atrai um azar tremendo para ela.

PARA GARANTIR A CHEGADA AO DESTINO

O fato de viver em função de suas viagens não significa que os ciganos se atiram a elas sem medir conseqüências ou definir um roteiro e um objetivo. Sabemos que planejar a viagem e empenhar-se para que ela se realize tranqüilamente não é o bastante. Temos muitas simpatias protetoras, mas uma das mais antigas e também considerada imutável é jamais deixar no local de partida um buraco aberta, seja onde tenha ficado o suporte de uma tenda, seja um buraco aberto para enterrar o lixo. Para atrair a mesma proteção para a sua viagem, antes de partir, procure um buraco aberto e aterre-o, mesmo que não tenha sido você quem o abriu.

PARA NÃO SE ENVOLVER DEMAIS COM UMA VIAGEM

Para pessoas que se relacionam ou tem fortes laços de união, a ausência durante uma viagem é sempre preocupante, da mesma forma como a demora de retornar sempre acabe se refletindo nas pessoas que ficam, gerando preocupação e apreensão, o que é natural. Os compromissos e as atribulações de uma viagem acabam tomando todo o tempo da pessoa que se ausentou e ela pode até acabar se esquecendo de dar notícias, mas quem fica mal consegue controlar a sua ansiedade. O remédio é lançar mão de uma simpatias. Se alguém que você preza não manda notícias há algum tempo, faça esta simpatia. Pegue uma fotografia dela, coloque-a dentro de um prato e sobre ela coloque um copo vazio, de boca para baixo. Deixe próximo de uma janela que dê para o nascente do sol. Em pouco tempo a pessoa mandará notícia.

PARA O SUCESSO DE UMA VIAGEM DE NEGÓCIOS

Viagens de negócios são comuns entre os gadjos, tanto o quanto são entre os ciganos. Via de regra, quando resolvemos deixar o conforto de nossos lares para isso, é melhor fazer isso com toda a segurança do resultado. Se você pretende fazer uma viagem, onde a ajuda de parentes, amigos ou de pessoas de prestígio sejam importantes para o sucesso, cerque-se de todas as garantias com uma simpatia muito fácil. Em tudo que fizer durante a viagem, relacionado ao objetivo dela, quando precisar assinar seu nome, antes de mais nada, trace uma cruz no local a ser assinado, com a ponta da caneta, sem toar a superfície do papel.

PARA VIAGEM MARÍTIMA

Engana-se quem pensa que os meios de locomoção dos ciganos eram somente as carroças e carroções antigos. Quando necessário, não se intimidavam e tomavam um barco. A busca constante por novidades, inclusive, fez com que muitos deles acabassem se tornando marinheiros. É, inclusive, atribuída aos ciganos, a popularização de uma simpatia até hoje utilizada por pescadores mais humildes em todo o mundo: para não morrer num naufrágio, os marujos usam um brinco de ouro na orelha esquerda. Ainda para proteção, se você vai viajar por mar, andar de barco ou mesmo nadar, use uma água-marinha, num pingente, presa ao pescoço.

PARA AFASTAR OLHO-GORDO DE SUA VIAGEM

Se você vai fazer uma viagem importante, interessante ou divertida, quer queira ou não, acabará provocando a inveja de alguém que fatalmente vai brindá-lo(a) com uma boa dose de olho-gordo, podendo comprometer todos os seus planos e o próprio resultado. Exemplos disso podem ser encontrados em toda parte. Com certeza até com você já pode ter acontecido algo semelhante. Para que não se repita, da próxima vez faça uma simpatia para se proteger. Esta é uma das melhores para os olhos gordos: Durante todo o tempo dos preparativos da viagem, até seu início, tenha sempre consigo, amarrada ao seu pulso direito, com três voltas, uma fita vermelha estreita. Logo após a partida, desate-a e jogue-a fora.

PARA RETORNAR LOGO

Há uma diferença muito significativa em viajar com todos os seus entes queridos e viajar sozinho. Para um cigano, as viagens se faziam com a tribo toda, a menos que surgisse a necessidade de tratar de algum negócio, quando iam numa pequena comitiva. Nesses casos, tinham pressa de chegar, resolver o assunto e retornar logo para o acampamento. Para um cigano, estar longo do seu meio específico é também uma necessidade. 7 Assim, quando partiam, faziam uma simpatia para que tudo desse certo e pudessem retornar logo para os seus. Se precisar de algo semelhante, faça o seguinte: Pegue um par de luvas que você já tenha usado, coloque a mão esquerda sob o seu travesseiro, na cama, com a palma voltada para cima; pôr a luva direita sobre o travesseiro, com a palma voltada para baixo. Alertar a quem fica para não desmanchar isso.

PARA AFASTAR O AZAR DE UMA VIAGEM

Quem vai sair para uma viagem não deseja, em hipótese alguma, a companhia de tão indigesta presença, já que o azar pode transformar um simples passeio numa tragédia ou numa decepção. Nesse particular os ciganos são extremamente preocupados, pois uma viagem, mesmo que solitária, deve chegar a bom termo e permitir um retorno breve e satisfatório para casa. Qualquer imprevisto vai gerar inquietação nele e nas pessoas que ficaram. Para não levar o azar como companheiro de viagem, os ciganos aprenderam, há séculos atrás, a jamais se valer de qualquer utensílio de couro de animais selvagens, sejam eles malas, maletas, valises ou bolsas.

PARA NãO CRIAR RAÍZES

A mesma febre que atacava os antigos pioneiros, levando-os cada vez mais fundo nos territórios inexplorados, deve ser da mesma natureza que a dos ciganos, incapazes, pelo menos até há algumas décadas atrás, de se fixarem num determinado local. Para isso, estavam dispostos a tudo e não queriam, de forma alguma, criar raízes. Esta é uma simpatia que todos aqueles que têm espírito inquieto e aventureiro podem fazer. Quando se fixar em algum lugar e desejar que essa parada seja apenas temporária, deixe um instrumento que tenha usado na viagem apontado na direção do caminho a seguir, lembrando-o de que a estrada continuava e que cedo ou tarde terá de voltar a ela. Se viajou de carro, por exemplo, estacione-o sempre com a frente voltada para o rumo que pretende tomar mais tarde.

PARA NÃO SE DEMORAR

Todos aqueles que são dotados de espírito nômade sentem logo uma comichão nos pés, quando começam a se demorar num mesmo lugar. Quem os conhece percebe logo sua inquietação e seu desejo de seguir além, atrás de novos territórios e de novas paisagens. Se você é assim e sente que chegou a hora de partir, prepare-se para essa viagem com a seguinte simpatia. Quando você se instalar em um lugar onde não deseja permanecer por muito tempo, quando for dormir, deixe seus sapatos com os bicos apontados na direção da porta.

PARA SE FIXAR NUM LUGAR

Um homem de espírito aventureiro, quando encontra uma mulher da mesma natureza, cria asas nos pés e jamais pára num local definitivamente, apoiado pela companheira. Por outro lado, quando essa companheira se cansa da vida nômade e deseja criar raízes, começa um conflito de interesses que pode levar a sérias desavenças. Se você já se cansou das aventuras de seu marido e quer se fixar num local para criar seus filhos, faça como as ciganas. Espere até que seu marido vá dormir, depois vire os sapatos dele com a sola para cima e com os bicos apontados para a parede do quarto oposta à porta de saída.

PARA NÃO TER MEDO DE VIAJAR

Há pessoas que, após um certo tempo de sedentarismo num só local, acabam se habituando e não saem dali por nada. Desenvolvem uma espécie de síndrome do pânico e nada as faz deixar seu lar para uma ou outra viagem, para desespero de seus parentes. Se você tem alguém assim na família, trate de curá-lo desse mal com uma simpatia cigana muito simples. Encontre um pretexto para mudar os móveis de posição no quarto dessa pessoa, posicionando sua cama de modo que a cabeceira fique voltada para o nascente do sol e os pés voltados para o poente.

PARA PREPARAR O ESPÍRITO PARA VIAGENS

Ao se fixar num local ou mesmo ao mudar de residência, pense que o seu futuro não se encerra ali e que pode haver muita coisa ainda para ser vista e experimentada fora desse reduto. Fixar-se definitivamente num local pode afastar a chance de conhecer novos locais e novas pessoas e isso não deveria acontecer, segundo o pensamento cigano. Se você não quer que suas raízes se prendam definitivamente ao lugar onde acabou de chegar, previna-se com uma simpatia cigana muito simples. Jamais deixe uma planta brotar diante da porta de entrada de sua casa. Se nascer alguma delas, retire-a com a raiz e deixe-a exposta ao sol. Se gosta de plantas, distribua os vasos à esquerda ou à direita das portas, mas jamais diante delas.

PARA NÃO SE PRENDER A UM LUGAR

Em suas andanças, os ciganos evitavam toda prática que pudesse ligá-los a um determinado lugar, deixando o espírito livre e preparado para vôos mais longos e imediatos. Hoje em dia, é impossível não ceder às tentações do sedentarismo, principalmente se você mora perto de escola, hospital, farmácia, mercado e outras comodidades, esquecendo-se que, num outro local, tudo isso pode existir e ser ainda mais compensador e vantajoso para você. É por isso que os ciganos recomendam que ninguém se prenda a um lugar e a forma de fazer isso e jamais plantar ou cultivar uma planta cujo ciclo de vida seja superior a um ano.

PARA SE MANTER LIVRE

A natureza é sábia e, ao mesmo tempo, cúmplice do homem em seus desejos e aspirações. Os elementais presentes nela interpretam os mais secretos desejos e procuram atendê-los. Muitos desses desejos são manifestados através de sinais e símbolos que, muitas vezes, o próprio homem desconhece e, por isso, pode acabar sendo atendido num pedido que não fez conscientemente. Assim, muito cuidado! Se deseja se manter livre para poder viajar de um lugar para outro, sem se prender a um determinado local, jamais grave seu nome no tronco de uma árvore ou planta, para não permanecer preso a àquele lugar.

PARA DEIXAR DE VIAJAR

É óbvio que esta não é uma prática utilizada pelos ciganos, mais preocupados com o nomadismo do que com a imobilidade. Ao longo do tempo, em sua história, porém, foram percebendo que havia certas práticas que deveriam ser evitadas, para não irem contra seu desejo de liberdade. Delas se utilizavam as mulheres ciganas, quando, por algum motivo, resolviam se fixar num local e, através delas, influenciavam seus maridos. Assim, se você quer se fixar em algum lugar, pregue uma ferradura no lado de dentro da porta de entrada de sua casa, à altura do olhos de seu marido, com o arco voltado para cima. Use uma ferradura de sete furos e nunca uma de cinco.

PARA FAZER ALGUÉM CRIAR RAÍZES

Algumas simpatias adotadas pelos ciganos foram colhidas diretamente no seio dos povos por onde passavam. Esta, por exemplo, foi incorporada ao repertório cigano após sua chegada ao Brasil, supondo-se que a tenham aprendido aqui, com os antigos colonizadores ou, em princípio, com suas esposas. Para fazer alguém criar raízes e perder o gosto pelas viagens e pelas aventuras, pendure um cabresto de cavalo na cabeceira da sua cama ou coloque-o sob a cama de quem você deseja que o faça, no lado dos pés.

PARA FIXAR RESIDÊNCIA

Ainda hoje há pessoas com o mesmo espírito cigano de antigamente, incapazes de fixarem residência nesta ou naquela cidade. O seu destino parece estar sempre um passo adiante, além do horizonte, num ponto para sempre indefinido. Para o indivíduo em si isso não é problema. Os constrangimentos surgem para a esposa e para a família, impossibilitadas de terem um lar e de formarem um círculo permanente de amizades. Se você convive com alguém ou quer modificar alguém, faça a seguinte simpatia cigana. Assim que chegar a um local onde deseja estabelecer-se definitivamente, plante qualquer tipo de árvore de longa vida, dando-lhe o nome da pessoa que deseja que permaneça no local. Sempre que passar pela planta, converse com ela, chamando-a pelo nome.

PARA DEIXAR DE VIAJAR

Há homens que têm a viagem no sangue e, por isso, são levados para profissões que lhes permitam isso, como caminhoneiro ou vendedor-viajante. Para eles isso representa a realização, mas para a família é um tormento constante, com o medo sendo permanente em sua vida, preocupada com a segurança de seu mantenedor. Antigamente, as ciganas resolviam isso com uma simpatia muito simples. Quando o homem chegava de viagem, elas tratavam de tirar o arreio do animal pessoalmente. Com o tempo e com a mudança dos meios de transporte, passaram a fazer e desfazer pessoalmente as malas de seus maridos viajantes.

PARA PÔR FREIO NA VONTADE DE VIAJAR

Para os ciganos de antigamente, viajar era quase que uma necessidade, pois havia feiras nas diversas localidades por onde passavam e eles tinham de se locomover depressa para levar seus produtos para comercialização. Além de uma necessidade, essas viagens acabavam se tornando um prazer, pois em cada localidade dessas, havia sempre uma mulher esperando por eles, o que em nada agradava a cigana que ficava em casa esperando por ele. Para combater isso, usavam uma simpatia interessante, que era a de selar pessoalmente o animal, pondo-lhe o freio na boca. Ao fazer isso, diziam o nome do marido três vezes. Hoje em dia, quando fazem a mala para a viagem dele, antes de fechá-la fazem o mesmo, repetindo o nome dele três vezes.

PARA VIAGENS TRANQÜILAS

O cavalo sempre foi considerado pelos ciganos mais do que um simples meio de locomoção. Era também o símbolo do vigor, da vitalidade e da liberdade que tanto cultuavam, fazendo-os sonhar com viagens distantes e aventuras movimentadas. Para realizar esses sonhos, eles não hesitavam em se lançar nas estradas. O tempo passou. Os ciganos se locomovem hoje com veículos modernos, mas há aqueles que, restritos a um continente ou a uma região, ainda se utilizam de vistosos e coloridos carroções. Em todos, indistintamente, pode-se observar a imponente figura de um cavalo, seja de corpo inteiro, seja apenas a cabeça. Por isso, para uma viagem segura e garantida, pintam em seus veículos um cavalo ou a cabeça de um cavalo. Há quem leve uma miniatura ou uma pequena reprodução de marfim, vidro, madeira, metal ou plástico.

PARA IR E VOLTAR EM PAZ

Diversas práticas ciganas antigas persistem ainda hoje, modificadas pelo tempo e adaptadas ao atual modo de vida desse povo antigamente nômade. O gosto pelas viagens continua, mas após elas, voltam ao seu local de origem, à residência ou à cidade onde se fixaram. Para garantir isso, levam consigo, como amuletos, pingentes na forma de peças ligadas aos animais, como ferradura, freio de metal, roda de carroça e outros.

PARA SER BEM RECEBIDO

Na história dos ciganos, há registros de uma vida tranqüila e de passagens sem problemas pelos países de toda a Europa. Há, também, registros de inúmeros casos onde os ciganos foram mal recebidos e hostilizados, principalmente em países totalitários ou governados por tiranos e déspotas. Para se prevenir contra todas as hostilidades, utilizavam simpatias consideradas poderosas, já que seria uma temeridade entrar em guerra, quando não eram bem recebidos. Uma delas era dar uma moeda à primeira criança que se aproximasse do acampamento, prática que até hoje é observada nos acampamentos ciganos.

PARA SABER QUANDO PARTIR

Quem já recebeu uma visita demorada, sabe os transtornos que isso significa. A pessoa chega para ficar um ou dois dias e acaba ficando indefinidamente, até o momento em que é pressionada para se explicar. Os ciganos não tinham esse problema, pois sabiam definir o tempo de permanência num local, usando uma simpatia muito simples. Ao chegar a uma nova terra, o local do acampamento era delimitado com cerveja, bebida que os ciganos apreciam mais do que o vinho, ou com o próprio vinho. Enquanto o aroma da bebida permanecesse, o acampamento continuava no local. Quando o aroma da bebida desaparecia, era hora de partir. A mesma simpatia era usada quando uma visita aparecia. À sua chegada, um pouco de cerveja ou de vinho era jogado diante da tenda onde ele se instalaria. Quando o aroma da bebida sumia, era hora da visita sumir também.

PARA TER UMA FELIZ ESTADA

Quando se visita uma família, ficando-se hospedada em sua casa, temos a preocupação de nos adaptarmos ao seu modo de vida e, ao mesmo tempo, causar o mínimo de transtorno e alteração a sua rotina. Tudo isso fica mais fácil quando o clima reinante é agradável e receptivo. Para garantir esse tipo de coisa, os ciganos tinham algumas simpatias, mas a mais comum era enterrar uma moeda de prata ou ouro do lado de dentro da tenda ou dos seus limites, deixando-a ali até sua partida. Antes de partir, a moeda era dada à dona da casa. Hoje em dia, ao chegar numa casa para uma visita onde precise permanecer alguns dias, enterre uma moeda do lado de dentro do portão, da cerca ou dos limites da casa. Não se esqueça de presentear a dona da casa com ela, ao partir.

PARA AFASTAR MAU AGOURO

Havia alguns acontecimentos na vida dos ciganos que era considerado um mau agouro, forçando a permanência num local ou impedindo uma viagem a ser iniciada. Isso acontecia quando morria um animal de estimação do acampamento e nisso incluíam-se os cavalos. Quando isso acontecia, o animal era enterrado com os pés para cima para impedir a ação de qualquer força que desejasse impedir que se continuasse a viagem.

PARA UMA VIAGEM LUCRATIVA

Para os ciganos, as viagens de negócios eram seus deslocamentos para participar das feiras, onde comercializavam cavalos e seus produtos de artesanato e jóias. Ao empreender uma viagem dessas, procuravam se cercar de todas as garantias de que ela fosse bem sucedida, com lucro e tranqüilidade. Para isso, recorriam a simpatias como esta. Quando viajavam a negócios, levavam um bule de cobre com três moedas dentro. Hoje muitos usam porta-níqueis de metal, finamente trabalhados em cobre, levando dentro três moedas de ouro.

PARA SE APEGAR AO LAR

Os ciganos, em suas viagens ou passagens pelas cidades, fatalmente acabavam despertando o amor das mulheres, mas jamais abriam mão de sua liberdade nem da vida do acampamento para ficar com uma delas. Para protegê-los desse perigo, usavam uma simpatia feita por suas mães. Quando um garoto cigano completava quatorze anos, sua mãe tecia uma pulseira com os cabelos delas, pondo-a no pulso do menino. Com o tempo, porém, as mulheres das cidades por onde eles passavam, usando de artifícios, substituíam as pulseiras originais por pulseiras feitas com seus próprios cabelos, na esperança de prendê-los. O mesmo faziam suas esposas, prendendo-os ao lar.

PARA SORTE NAS VIAGENS

Toda e qualquer viagem, por mais interessante que seja, sempre encerra algum perigo ou algum tipo de risco. Viajar com segurança máxima só mesmo contando com uma simpatia ancestral, praticada há séculos pelos ciganos. Ao viajar, levar no bolso ou num pingente, em contato com a pele, um dente de animal selvagem. Hoje em dia isso não é tão fácil de ser achado, mas nas casas especializadas ainda é possível. Vale a pena tentar. PARA ENCONTRAR O AMOR

De uma prática antiga, dos tempos em que os casamentos ciganos eram arranjados pela própria tribo, nasceu uma simpatia utilizada pelos casais para reforçar o amor e fortalecer a união. Após o casamento e no momento de sair em viagem de lua-de-mel, o homem presenteia sua esposa com um botão de cravo vermelho. Ela, em contrapartida, deve receber o botão com a mão esquerda e, com a direita, ofertar um botão de rosa vermelha ao homem.

PARA ACHAR ALEGRIA E FELICIDADE

Fazer uma boa viagem, ser bem recebido e encontrar alegria e felicidade no próximo local são coisas que os ciganos buscavam e que, hoje em dia, todos desejam para si. Para iso existem simpatias específicas e uma das mais usadas é atirar flores na direção dos quatro pontos cardeais, no momento da partida.

PARA IR E VOLTAR

Fazer uma viagem tranqüila, realizar o que for preciso e retornar da mesma forma, sem acidentes e sem problemas, é o desejo de qualquer um, mesmo daqueles que viagem esporadicamente. Para quem está constantemente na estrada, isso é uma necessidade e uma preocupação que pode ser amenizada com o uso de uma simpatia cigana muito antiga. Para ir e voltar em paz, pendure qualquer objeto de ouro à altura do coração. Ao se chegar ao destino, esse objeto deverá ser pendurado na cabeceira da cama. Ao iniciar a viagem de volta, o objeto deverá ser usado novamente à altura do coração.

PARA ALEGRIA E FELICIDADE NAS VIAGENS

Sair de férias é uma alegria e um alívio, após um ano de trabalho. Quando há uma viagem nessas férias, tudo fica melhor ainda. Apenas o receio dos imprevistos e dos eventuais problemas que podem surgir é que empanam o brilho dessa alegria, mas isso pode ser corrigido com o uso de uma simpatia. Para fazer a sua viagem sem problemas, tornando-a cheia de alegria e de felicidade, há uma simpatia que manda soprar, na direção do caminho a tomar, um punhado de poeira colhida na estrada ou à beira dela.

PARA VIAJAR EM PAZ

Algumas práticas ciganas, de seu período nômade, foram incorporadas ao novo estilo de vida sedentário, como forma de garantir uma boa viagem, sem deixar para trás problemas ou assuntos mal resolvidos. A recomendação é simples. Se você vai mudar de residência ou viajar, verifique na parede onde fica a cabeceira de sua cama, se não está deixando ali nenhum prego torto ou parafuso mal colocado. Retire os pregos e fixe os parafusos, depois pode viajar em paz.

PARA FICAR EM PAZ

Havia alguns hábitos ciganos enraizados, que mesmo depois de adotarem um estilo de vida mais sedentário, ainda persistem. Isto porque esse povo sempre deu muita atenção aos hábitos e costumes das nações, países ou cidades por onde passavam, buscando respeitar as leis existentes e evitando a todo custo a inimizade dos moradores. Isso reforça um dos boatos mais infames contra esse povo, que dizia que os ciganos eram ladrões de crianças. Mesmo assim, em muitas oportunidades, ao longo da história, os ciganos foram hostilizados pelos moradores de alguns países ou localidades, sendo expulsos ou obrigados a viver em sobressalto. Por causa disso, amealharam simpatias que, antes de mais nada, buscavam impedir ações agressivas ou confrontos. Muitas dessas simpatias são válidas e utilizadas até hoje. Ao chegar a uma localidade onde deseja ficar em paz, estenda um varal diante de sua casa ou tenda e nela pendure uma peça de roupa branca, de modo bem visível.

PARA EVITAR INIMIGOS

Evitar fazer inimigos sempre foi uma preocupação dos ciganos, pois precisavam da liberdade para ir e vir sem receio, fosse para onde fosse. Para isso, além dos cuidados com as leis dos países por onde passavam, praticavam simpatias específicas, como a seguinte. Para evitar inimigos, enterrar, diante do local onde se pretende ficar, um punhal com a ponta voltada para baixo.

Envie por e-mail

Seu e-mail:

Seu nome:

E-mail do destinatário:







Simpatias Cigana